A importância e os tipos de cabeamento de rede

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Uma das maiores características da área de redes de computadores é a sua diversidade de padrões. Durante a criação de uma nova estrutura corporativa, um gestor de TI pode optar entre diversos tipos de cabeamento de rede, e a chave para a escolha correta é o conhecimento sobre os principais padrões da área.

Quer saber mais sobre esses padrões e como fazer a melhor escolha de cabeamento de rede? Então continue lendo este post!

Se precisa de mão de obra especializada para cabeamento de rede estruturada entre em contato.

Tipos de cabeamento de rede

O cabo de rede é o principal meio de envio e recebimento de dados entre dois ou mais computadores. Há redes que utilizam apenas um tipo de cabeamento, mas, em alguns casos, elas podem utilizar tipos variados.

Entender os três principais padrões utilizados pelas empresas é fundamental para a construção de uma boa rede. A seguir, veja quais são estes tipos de cabos de redes e entenda as características que os diferenciam:

Cabo Coaxial

Caracterizado pela presença de um único fio metálico condutor de sinais eletrônicos, o cabo coaxial é utilizado tanto para o sinal de ligações e dados via internet quanto para a transmissão de sinais televisivos. Entretanto, atualmente, a sua utilização encontra-se reduzida aos serviços de televisão.

Resistência

Apesar de ser uma tecnologia com instalação mais complexa, o cabo coaxial consegue barrar facilmente interferências eletromagnéticas graças à sua proteção metálica e à estrutura de plástico, que aumentam a resistência do cabeamento.

Existem dois tipos de cabo coaxial no mercado, o n10Base2 e o 10Base5. O primeiro consegue enviar um sinal por até 185 metros sem grande atenuação. Já o segundo, com uma camada de proteção adicional, pode transportar um sinal de dados por até 500 metros.

Entenda em detalhes estes dois tipos:

Tipo n10Base2

Também conhecido como cabo coaxial fino, este tipo de cabo é usado principalmente em redes do tipo ethernet. Possui diâmetro de apenas 0.18 polegadas (cerca de 4.7 milímetros), o que o torna razoavelmente flexível.

Tipo n10Base5

Este é um tipo de cabo coaxial mais antigo. Era muito usado em redes baseadas em mainframes. É um cabo grosso (de 0.4 polegadas, ou quase 1 cm de diâmetro), o que o torna caro e difícil de instalar por conta de sua pouca flexibilidade.

Resumo das principais vantagens dos cabos coaxiais:

  • São resistentes a ruídos e interferências;
  • Possuem topologia simples de implementar;
  • Os custos de implementação são baixos.

Fibra óptica

Conhecido pela sua alta capacidade de enviar e receber informações, os cabos de fibra óptica possuem um núcleo constituído de fibras de sílica ou vidro. Utilizando um sinal de luz, eles podem manter um pacote de dados trafegando em alta velocidade por longas distâncias sem a necessidade de repetidores ou ampliadores de sinal.

As redes de fibra óptica se destacam por ser imunes a interferências eletromagnéticas e pela baixa necessidade de receber manutenção. Em redes internas, o padrão mais utilizado é o multimodo (também conhecido como modo múltiplo). Já em WANs ou redes de telecomunicação de longa distância, os cabos monomodos (modo simples) são mais comuns.

Flexibilidade

Os cabos de fibra óptica, ao contrário do que se pode imaginar, são muito flexíveis. Eles podem ser passados dentro de conduítes com bastante facilidade. Nos mesmos locais onde cabos coaxiais entram, certamente os cabos de fibra também vão entrar.

Uma das grandes vantagens destes tipos de cabos é que eles não exigem ficar em linha reta e, além disso, como possuem diversas camadas de proteção, também oferecem excelente resistência mecânica.

Talvez, uma desvantagem da fibra óptica seja o alto custo tanto dos cabos quanto das placas de redes e o próprio serviço de instalação (que exige bastante material e é complicado). Por isso, ela geralmente ela é usada como backbone para unir duas ou mais redes.

Resumo das principais vantagens da fibra óptica:

  • Grande capacidade de transmissão;
  • Baixas taxas de perda de transmissão em comparação com os demais tipos de cabos;
  • Flexibilidade, baixo peso e pequena espessura;
  • Isolação elétrica (constituída de vidro ou plástico).

Cabos de par trançado

Introduzido na década de 1990, o cabo de par trançado (ou cabo UTP) é um dos padrões mais populares no mundo inteiro. Em redes internas, ele pode atingir velocidades que variam de 10 Mbps a 10 Gbps, é mais flexível que os cabos coaxiais e mais popular do que os cabos de fibra óptica.

Capacidade de evitar interferências

O seu núcleo é feito com um conjunto de fios elétricos de cobre ou aço recoberto de cobre. Eles são recobertos com um plástico isolante e entrelaçados em forma de trança. Com isso, a resistência do cabeamento aumenta sem comprometer a sua capacidade de evitar interferências eletromagnéticas.

7 categorias de cabos de par trançado

Também é importante saber que os cabos de par trançado são divididos em 7 categorias:

Categoria 1: Esta categoria, que era usada antigamente em instalações telefônicas, não é mais aceita pela Associação da Indústria de Telecomunicações (TIA);

Categoria 2: Projetada para redes antigas denominadas token ring, também não é mais reconhecida pela TIA;

Categoria 3: O cabo UTP de categoria 3 foi o primeiro desenvolvido especialmente para uso em redes. Ele é utilizado para transmissões de dados até 10 Mbps com frequência de até 16 MHz. A principal diferença entre esse tipo de cabo e o cabo de categoria 1 e 2 é que ele possui um padrão de pelo menos 24 tranças por metro, o que o torna mais resistente a interferências e ruídos externos.

Categoria 4: Usadas para transmitir dados a uma frequência de até 20 MHz e dados a 20 Mbps, também perdeu o reconhecimento da TIA;

CAT5 e CAT5e

CAT5 permite sinalização a 100 MHz e velocidades de 100 Mbps até 100m.

CAT5e permite sinalização a 100 MHz e velocidades de 1 Gbps até 100m.

CAT6 e CAT6a

CAT6 permite sinalização a 250 MHz e velocidades de 1 Gbps até 100m. Nas cndições certas podem suportar 10 Gbps até 30-50m.

CAT6a permite sinalização a 500 MHz e velocidades de 10 Gbps até 100m.

CAT7 e CAT7a

CAT7 permite sinalização a 600 MHz e velocidades de 10 Gbps até 100m.

CAT7a permite sinalização a 1000 MHz e velocidades de 10 Gbps até 100m.

É um cabo ainda com pouca divulgação e cuja instalação requere alguma atenção à componente elétrica. O seu preço mais que duplica os CAT6a e não há muita disponibilidade de equipamento terminal.

CAT8

CAT8 permite sinalização a 2000 MHz e velocidades de 40 Gbps até 35m.

Resumo das principais vantagens dos cabos de par trançado:

  • Possui maior taxa de transferência;
  • Capacidade de evitar interferências;
  • Resistência.

A importância de escolher corretamente o cabeamento de rede

Durante o planejamento de uma nova rede, analistas de TI devem estar atentos ao tipo de cabeamento que será utilizado. Em ambientes com alta incidência de ruídos eletromagnéticos, por exemplo, é importante utilizar um padrão que possua uma boa blindagem.

Há também os casos em que a rede terá que suportar uma grande quantidade de dados e ser altamente escalável. Nesse cenário, tecnologias como a fibra óptica podem ser mais adequadas.

Saber escolher o melhor cabeamento é indispensável para o sucesso da rede. Uma má escolha pode levar, facilmente, ao mau funcionamento de equipamentos e serviços digitais que necessitem de uma conexão de internet para trabalhar corretamente, o que pode causar prejuízos ao usuário e à empresa.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest